O Aborto na Visão Espírita - Parte 1

Terça, 17 Novembro 2009 23:40
Versão para impressão

Índice

01- Introdução

02- O que diz a bíblia sobre “não matarás”

03- Amar ao próximo como a si mesmo

04- O Deus de Moisés e o Deus de Jesus

05- Estatísticas do aborto no mundo

06- O navio do aborto

07- Aborto: o que diz a ciência

08- Frases de um pesquisador

09- Uma fotografia de um feto pegando na mão do médico

10- Fotos de fetos

11- Foto de aborto e humilhação do feto

 

 

 

01 - Introdução

O Espiritismo, por ser uma doutrina que traz ao homem o conhecimento abrangente de Deus e da Criação, demonstra que os Espíritos estão na Terra para aprender, fazer, estudar, crescer, tendo em vista o alcance da perfeição.

Se o homem ainda está nas fases iniciais de aprendizado e ainda muito voltado ao mal, é porque está no mesmo nível de elevação do planeta, ou seja, em provas e expiações. A Terra passará a ser um mundo de regeneração e somente Espíritos bons aqui poderão aportar. Como conseqüência tudo haverá de ser melhor em todos os sentidos: A Terra será cuidada com o carinho que merece e dela tirar-se-á o sustento da população preservando a natureza, cuidando das florestas, dos rios, dos campos, dos oceanos, do ar e de tudo o que à Terra pertence. Os homens mansos povoarão a Terra como predisse Jesus. A Terra respeitará o homem e o homem respeitará a Terra.
Neste estudo que ora entregamos aos amigos vamos procurar demonstrar o que acontece com aqueles que cometem aborto delituoso. Muitos haverão de mudar de página porque tem a consciência culpada, mas garanto aos amigos que isso não se deve fazer. Se alguém já praticou ou induziu outros a fazer isso, não fique triste, pois devemos obedecer a Simão Pedro que nos disse: “O amor cobre a multidão de pecados”.

Isso quer dizer que todos nós que erramos, por qualquer motivo, temos condições de refazer o caminho e entrar na Legião de Espíritos que são chamados de discípulos de Jesus. Quem errou que recomece o seu caminho. Quem ainda não errou, não erre e saiba o porquê não deve fazer isso.

Quanto ao aborto gostaria de fazer um pequeno comentário:

Coloque-se meu amigo na condição seguinte: Se quando nossas mães ao saber da concepção de nosso corpo material, ainda imperceptível em seu ventre, desejasse a todo custo nos abortar e o fizesse, onde é que estaríamos agora?. Muitos dirão que encontrariam outros pais que os desejassem e que os trariam à encarnação.

Mas as coisas não são bem assim. A maioria esmagadora de Espíritos que são rejeitados pelas mães e abortados em seus corpos programados para adentrarem o mundo dos encarnados, se revolta, não perdoa e passa a obsidiar os pais, causando males de toda sorte. Ficam por muitos anos perseguindo e maltratando, levando-os à loucura e muitas vezes à morte prematura.

Tornam-se malfeitores e carregam isso até que possam de alguma maneira acertar essas contas com Deus, através de muitas lágrimas e lamentos.

Como nos disse Jesus, devemos fazer aos outros aquilo que gostaríamos que nos fizessem. A medicina está muito avançada e hoje só tem filhos quem realmente quer, pois são muitos os métodos eficazes de evitar a concepção.
Digo isso porque no momento em que ocorre a concepção é que o Espírito designado a encarnar com o novo corpo é ligado e então existe vida intra-uterina. Desde o momento da concepção o Espírito reencarnante está jungido ao corpo em formação e o aborto, se realizado, é crime. Quem pratica o aborto está cometendo um crime contra alguém que não pode se defender.

Os que são cristãos conhecem muito bem um dos mandamentos do Decálogo que é: “Não matarás”.

Jesus nos ensinou que alem de não matar, devemos fazer o bem e a caridade para com o próximo, e ser parecidos com as crianças porque deles é o Reino dos Céus.

 

02- O que diz a Bíblia sobre "Não Matarás”

Não matarás”.   (Êxodo 20:13)

De palavras de falsidade te afastarás, e não matarás o inocente e o justo. Porque não justificarei o ímpio”. (Êxodo 23:7)

Não matarás”. (Deuteronômio 5:17)

“Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo”. (Mateus 5:21)

Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho”. (Mateus 19:18)

Tu sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; não defraudarás alguém; honra a teu pai e a tua mãe”. (Marcos 10:19)

Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe”. (Lucas 18:20)

Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. (Romanos 13:9)

Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás”. (Tiago 2:11)

 

03- Amar ao próximo como a si mesmo

Uma das maiores manifestações que conhecemos sobre o amor incide naqueles que desejam ter o coroamento de sua felicidade com o nascimento de filhos para que possam dar continuidade em seu trabalho de vivencia da luz sobre a Terra.

Quando a pessoa exalta a caridade dentro de si em forma de auxilio das mais variadas maneiras ao seu próximo, o que não fará em prol daqueles que são a geração de seu próprio ser na constituição de uma nova forma de vida?

Nisso vemos o “amar ao seu próximo como a si mesmo” em seu próprio sangue na multiplicação da vida.

- Mateus 22

34 E os fariseus, ouvindo que Ele fizera emudecer os saduceus, reuniram-se no mesmo lugar.

35 E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo:

36 Mestre, qual é o grande mandamento da lei?

37 E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

38 Este é o primeiro e grande mandamento.

39 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

40 Desses dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.

- Marcos 12

28 Aproximou-se dele um dos escribas que os tinha ouvido disputar e, sabendo que lhes tinha respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o primeiro de todos os mandamentos?

29 E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor.

30 Amarás, pois, ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.

31 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.

32 E o escriba lhe disse: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que há um só Deus e que não há outro além dele;

33 e que amá-lo de todo o coração, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as forças e amar o próximo como a si mesmo é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios.

34 E Jesus, vendo que havia respondido sabiamente, disse-lhe: Não estás longe do Reino de Deus. E já ninguém ousava perguntar-lhe mais nada.

 

04- O Deus de Moisés e o Deus de Jesus

O Deus de Moises mandava matar os inimigos sem qualquer compaixão. Mandava até mesmo matar os filhos que fossem rebeldes como está escrito no Deuteronômio (21: 18 a 21) e tantas outras coisas mais que não se coadunam com o pensamento de um Deus de amor e de compaixão como nós aprendemos a conhecer.

O Deus que Jesus nos apresentou está muito longe daquele Deus do “olho por olho dente por dente”. É o Deus do amor que ensina a amar ao próximo como a si mesmo.

Lógico que entendemos que naqueles tempos Moises tinha que ser duro com os seus conterrâneos devido ao atraso e ignorância do povo. Então apresentou um Deus enérgico e sedento de sangue e o povo engoliu isso e muitos ainda seguem os mesmos pensamentos daquela gente.

Os tempos são outros e o pensamento cristão é muito diferente. Mas os Espíritos que encarnavam aqueles homens ainda hoje estão por aqui no mesmo diapasão, na mesma lamuria e nos mesmos hábitos. Continuam ainda com o tacão: pagar as maldades que recebem, com as mesmas maldades.

Os amigos cobram de nós, Espíritas, o porquê que Deus não limpa de vez nosso planeta e deixa aqui apenas os Espíritos que sejam seguidores do amor e da paz.

Entendemos o pensamento dos Espíritos quando nos dizem que a Terra está se transformando, de um planeta de provas e expiações para um planeta de regeneração, mas compreendemos que para isso acontecer leva algum tempo; mas espero que ninguém se preocupe, pois já está acontecendo a retirada definitiva de Espíritos voltados para o mal para outros locais ainda atrasados, pois com eles tem afinidade.

Em a natureza nada pode dar saltos, tudo deve seguir os processos de evolução contínua. Os Espíritos são criados tendo a semente interior, impregnada no âmago da alma, que devem seguir a evolução até Deus, mas essa semente muitas vezes é sufocada pelos atrasos e inconseqüências que o Espírito molda para seu caminho através de seus atos impensados.

No dia a dia vemos que milhões estão engajados no mal e fazem de tudo para que as hostes inferiores vençam o bem. O planeta se segura porque os bons ainda tem forças para lutar e fazer com que a justiça predomine sobre os atos inconseqüentes dos maus elementos.

Milhares de Espíritos permanecem na Terra jungidos aos males que praticaram quando encarnados e continuam praticando na erraticidade.

Quem foi mau na Terra continua mau na Espiritualidade, habitando locais de sofrimento e interagindo com os encarnados. Isso gera todo tipo de conflitos e acaba desaguando num mar sem fim de sofrimentos. Poucos são os que conseguem desamarrar os liames que os prendem aos interesses mundanos e alçar vôo pela espiritualidade maior.
Para piorar o caso de obsessões e possessões temos os abortos delituosos praticados por pessoas inconseqüentes e que levam às piores encrencas que se possa imaginar.

Vamos estudar o caso, na visão Espírita, do aborto criminoso, contando alguns fatos para que o amigo possa pensar e agir certo quando de situações parecidas a que esteja sujeito.

 

05- Estatísticas de aborto no mundo

Numero de abortos por ano: entre 46 a 55 milhões.

Numero de abortos por dia: aproximadamente 126.000.

Onde ocorrem:

78% de todos os abortos são realizados em países em desenvolvimento e os restantes 22% em países desenvolvidos.

Legalidade dos abortos:

Aproximadamente 97 países, com cerca de 66% da população mundial, têm leis que em essência permitem o aborto induzido.

93 países, com cerca de 34% da população, proíbem o aborto ou permitem o aborto apenas em situações especiais como deformações do feto, violações ou risco de vida para a mãe.

Todos os anos cerca de 26 milhões de mulheres realizam abortos legais, enquanto que 20 milhões de abortos são realizados em países onde esta prática é restringida ou proibida por lei.

 

06- Navio do aborto

Em 03 de agosto de 2009 a noticia na internet foi esta:

Navio do Aborto suspende viagem ao Brasil


                Aurora, o navio do aborto

A organização não governamental Women on Waves (Mulheres sobre as Ondas), liderada pela médica holandesa Rebeca Gomperts, de 43 anos de idade, tomou a iniciativa de realizar abortos e distribuir, nas primeiras semanas de gravidez, pílulas abortivas.

Uma embarcação denominada Aurora, bem equipada, recolhe, há dois anos, nos países da África e da América Latina, mulheres grávidas desejosas de realizar aborto seguro. Segundo as “Mulheres sobre as Ondas”, existe o “direito natural das mulheres de recusar uma maternidade não desejada”.

Nos países que criminalizam o aborto, as grávidas desejosas em interromper a gravidez são colocadas na supracitada embarcação e o aborto é realizado fora das águas territoriais. Ou seja, onde não vigora a legislação do país de proibição.

Depois de efetivado o aborto, dá-se o retorno da mulher ao porto de embarque. A atividade da “Mulheres sobre as Ondas” não se resume ao aborto com intervenção cirúrgica. Elas, depois de examinarem e diagnosticarem o tempo de gravidez, realizam a distribuição de pílulas abortivas. Só são distribuídas as pílulas depois de constatado que o tempo de gravidez não ultrapassa as primeiras semanas.

A embarcação está ancorada em porto holandês e não pode viajar para o Brasil, Chile, Argentina e Nicarágua até que a justiça holandesa defina a situação criada pelo governo que não quer mais que a bandeira da Holanda seja usada por navios do tipo Aurora.

Sem bandeira, a imunidade da nave foi perdida e quando da ancoragem em porto de países anti-abortistas haveria problemas.

Além disso, a organização passou a não mais receber as pílulas abortivas dos programas governamentais holandeses.

Essa gente que se autodenomina salvadora dos direitos das mulheres não sabem o tamanho da encrenca que estão arrumando para si e para aquelas que pretendem “ajudar” retirando a vida que se forma em seu ventre, pelos mais diferentes motivos. Tanto a gestante quanto aqueles que incentivam ou praticam o aborto são réus de crimes perpetrados contra a Lei de Deus e consequentemente serão tratados como tal pela Lei da Causa e Efeito. Se soubessem o tributo cobrado por quem pratica esse crime jamais deixariam que sequer passasse perto de sua cabeça esse pensamento.

 

07- Aborto: Que diz a ciência?

No século XIX descobriu-se que a partir da concepção tínhamos um novo ser humano e que, por isso, o aborto consistia em matar deliberadamente um ser humano inocente.

“Zigoto. Esta célula resulta da fertilização de um oócito por um espermatozóide e é o início de um ser humano… Cada um de nós iniciou a sua vida como uma célula chamada zigoto.” (K. L Moore. The Developing Human)

"Da união de duas dessas células [espermatozóide e oócito] resulta o zigoto e inicia-se a vida de um novo indivíduo. Cada um dos animais superiores começou a sua vida como uma única célula.”  (Bradley M. Palten, M. D., Foundations of Embryology (3rd Edition, 1968), New York City: McGraw-Hill.)

"A formação, maturação e encontro de uma célula sexual feminina com uma masculina, são tudo preliminares da sua união numa única célula chamada zigoto e que definitivamente marca o início de um novo indivíduo." (Leslie Arey, Developmental Anatomy (7th Edition, 1974). Philadelphia: W. B. Saunders Publishers)

"O zigoto é a célula inicial de um novo indivíduo.” (Salvadore E. Luria, M. D., 36 Lectures in Biology. Cambridge: Massachusetts Institule of Technology (MIT) Press)

“Sempre que um espermatozóide e um oócito se unem, cria-se um novo ser que está vivo e assim continuará a menos que alguma condição específica o faça morrer:” (E. L. Potter, M. D., and J. M. Craig, M. D Palhology of lhe Fetus and lhe lnfant, 3rd Edition. Chicago: Year Book MedicaI Publishers, 1975.)

“O zigoto (…) representa o início de uma nova vida.” (Greenhill and Freidman’s, Biological Principies and Modem Practice of Obstetrics)

Como já se disse o valor científico destas afirmações é inquestionável, pois constam dos livros adotados pela maioria das Faculdades de Medicina dos EUA.

Em 1971 o Supremo Tribunal de Justiça dos EUA pediu a mais de duzentos cientistas, entre os mais prestigiados especialistas americanos, que elaborassem um relatório sobre o desenvolvimento embrionário. Esse documento diz o seguinte:

“Desde a concepção a criança é um organismo complexo, dinâmico e em rápido crescimento. Na sequência de um processo natural e contínuo o zigoto irá, em aproximadamente nove meses, desenvolver-se até aos triliões de células do bebé recém-nascido. O fim natural do espermatozóide e do óvulo é a morte, a menos que a fertilização ocorra. No momento da fertilização um novo e único ser é criado, o qual, embora recebendo metade dos seus cromossomas de cada um dos progenitores, é completamente diferente deles”. (Amicus Curiae, 1971 Motion and Brief Amicus Curiae of Certain Physicians, Professors and Fellows of the American College of Obstetrics and Gyneco1ogy, Supreme Court of the United States, October Term, 1971, No. 70-18, Roe v. Wade, and No. 70-40, Doe v. Bolton.) 

Diante disso, pode-se concluir:

1. A partir do momento da concepção, do ponto de vista biológico, temos um ser vivo.

2. Este ser vivo está individualizado.

3. Este ser vivo pertence a uma espécie definida: a espécie à qual pertencem todos os seres humanos. Portanto,

4. A partir do momento da concepção, do ponto de vista biológico, temos um ser vivo, individualizado e humano.

Está completamente fora de dúvidas que o aborto mata um ser humano. Aos defensores do aborto resta explicar como se pode defender a morte arbitrária de seres humanos inocentes.

 

08- Frases de um pesquisador

O pesquisador francês Dr. Lejane que identificou a origem genética da chamada Síndrome de Down disse:

“Se um óvulo fecundado não é por si só um ser humano, ele não poderia tornar-se um, pois nada é acrescentado a ele.”

“Penso pessoalmente que diante de um feto que corre um risco, não há outra solução senão deixá-lo correr esse risco. Porque, se se mata, transforma-se o risco de 50% em 100% e não se poderá salvar em caso nenhum. Um feto é um paciente, e a medicina é feita para curar… Toda a discussão técnica, moral ou jurídica é supérflua: é preciso simplesmente escolher entre a medicina que cura e a medicina que mata”.

“A sociedade não tem que lutar contra a doença, suprimindo o doente.”

“Um único critério mede a qualidade de uma civilização: o respeito que ela prodiga aos mais fracos de seus membros. Uma sociedade que esquece isso está ameaçada de destruição. A civilização consiste, muito exatamente, em fornecer aos homens o que a natureza não lhes deu. Quando uma sociedade não admite os deserdados, ela vira as costas à civilização”

“Logo que os 23 cromossomas paternos trazidos pelos espermatozóides e os 23 cromossomas maternos trazidos pelo óvulo se unem, toda a informação necessária e suficiente para a constituição genética do novo ser humano se encontra reunida”.

“O fato de que a criança se desenvolve em seguida durante 9 meses no seio de sua mãe, em nada modifica a sua condição humana.”

“Assim que é concebido, um homem é um homem”.

“Não quero repetir o óbvio, mas na verdade, a vida começa na fecundação. Quando os 23 cromossomas masculinos se encontram com os 23 cromossomas femininos, todos os dados genéticos que definem o novo ser humano já estão presentes. A fecundação é o marco da vida”.

“…Se logo no início, justamente depois da concepção, dias antes da implantação, retirássemos uma só célula do pequeno ser individual, ainda com aspecto de amora, poderíamos cultivá-la e examinar os seus cromossomas. E se um estudante, olhando-a ao microscópio não pudesse reconhecer o número, a forma e o padrão das bandas desses cromossomas, e não pudesse dizer, sem vacilações, se procede de um chimpanzé ou de um ser humano, seria reprovado. Aceitar o fato de que, depois da fertilização, um novo ser humano começou a existir não é uma questão de gosto ou de opinião.

A natureza humana do ser humano, desde a sua concepção até à sua velhice não é uma disputa metafísica. É uma simples evidência experimental.”

“No princípio do ser há uma mensagem, essa mensagem contém a vida e essa mensagem é uma vida humana”.

 

09 - Uma fotografia do feto pegando na mão do médico

Um fotógrafo que fez a cobertura de uma intervenção cirúrgica para espinha bífida, realizada dentro do útero materno num feto de apenas 21 semanas de gestação, numa autêntica proeza médica, nunca imaginou que a sua máquina fotográfica iria registrar talvez o grito a favor da vida mais eloqüente conhecido até hoje.

Enquanto Paul Harris cobria, na Universidade de Vanderbilt em Nashville, Tennessee, aquilo que considerou uma das boas notícias no desenvolvimento deste tipo de cirurgias, captou o momento em que o bebe tirou sua mão pequena do interior do útero da mãe, tentando segurar um dos dedos do doutor que estava a operá-lo.

A mão pequena que comoveu o mundo pertence a Samuel Alexander, nascido a 28 de dezembro 1999 (no dia da foto ele tinha 3 meses de gestação). os especialistas sabiam que não conseguiriam mantê-lo vivo fora do útero materno e que deveriam tratá-lo lá dentro, corrigir a anomalia fatal e fechá-lo para que o bebe continuasse seu crescimento normalmente.

Por tudo isto, a imagem foi considerada como uma das fotografias médicas mais importantes dos últimos tempos e uma recordação de uma das operações mais extraordinárias efetuada no mundo.

Uma espinha dorsal bífida pode levar a danos cerebrais, gerar paralisias diversas e até mesmo uma incapacidade total. Porém, quando pode ser corrigido antes de o bebê nascer, muitas são as chances de cura. Apesar do grande risco por o bebê não poder nascer ainda naquele momento. Nela, os médicos puderam tratar o bebe, cujo tamanho não era maior do que o de um porquinho da índia – sem o tirar do útero, fechar a abertura originada pela deformação e proteger a coluna vertebral de modo a que os sinais vitais nervosos pudessem ir agora para o cérebro.

 

10- Fotos de fetos

 

11- Foto de aborto e o ar de humilhação do feto

Parte II >>