CAPÍTULO 50: As fotos

Sexta, 21 Setembro 2012 10:57
Versão para impressão

<<< Anterior... 

CAPÍTULO 50
 
 
 
As fotos                   

 
                               A família de Otávio visita a família de
                                   Maria e ela vê algumas fotos do tempo
                    que fora casada com Antonio.


 
               No domingo, pela manhã, Otávio, Conceição e os três filhos chegam à cidade para visitar a família de Maria. Encontram o endereço com facilidade, pois a casa é a primeira em frente à praça, de cor verde, com aberturas em branco.
               O jardim estava florido em pleno mês de abril, mas a aragem anunciava os primeiros frios do inverno que se aproximava. O povo estava indo para a missa na igreja em frente à praça e os sinos badalavam anunciando que eram oito horas.
               Otávio estava acompanhado por Conceição e os filhos Augusto, Tadeu e Fabrício, todos com mais de quarenta anos e ainda solteiros. Augusto era noivo de Alzira, mas ela teve que viajar para visitar uma tia doente; Tadeu tinha uma namorada que morava em cidade distante para estudar; Fabrício tinha namorada que fora visitar seus pais na capital.
               As famílias estavam bem entrosadas na conversa franca e amiga enquanto a carne assava no brasedo de uma churrasqueira improvisada no quintal. Enquanto a chaleira chiava, o mate corria solto entre os amigos que agora pareciam ter algo em comum.
               Em primeiro lugar foi o encontro no Centro e as poucas palavras trocadas como um “boa noite”, “até mais ver”. Agora, sim, enquanto assavam o churrasco podiam conversar abertamente sobre o assunto que bem entendessem.
               Conversaram sobre política, esportes, tempo, inflação, progresso, livros, filmes e somente perto do almoço é que lembraram que o mais importante era ver as fotos que Otávio trouxera.
               Reuniram-se em torno de uma grande mesa no quintal e começaram a olhar as fotos que, segundo Otávio, o pai, seu Antonio, conseguira com o fotógrafo que as produzira naquele tempo e doara ao filho para que guardasse as recordações da família.
               Na primeira foto estavam Antonio e Maria no dia do casamento. Marisa quase morreu ao ver a Maria de Antonio. Era ela mesma, somente vestidas de maneira diferente. Deus havia permitido que nascesse com o mesmo semblante e corpo parecido para que fosse reconhecida posteriormente por seu filho. Josué percebeu a semelhança e arregalou os olhos para ver melhor a foto e comparar com a esposa.
               Se alguém dissesse que eram irmãs gêmeas concordaria totalmente. Qual era o mistério nisso? Pensava Josué tentando avaliar a extensão das coincidências.
               A segunda foto mostrava Antonio, Maria e os filhos Miriam, Marta, Marcela e, no colo da mãe, Otávio, com quatro meses. Miriam era semelhante a Mirtes, a filha de Marisa e isso se notou com facilidade. Até a pequena levou um susto quando viu Miriam na foto, reconhecendo-se nela.
               A terceira foto mostrava Antonio e Maria com os filhos em frente a igreja do lugarejo onde moravam. A semelhança era muito grande e notaram que Antonio e Otávio também eram muito parecidos apesar da pouca idade do menino.
               A quarta foto mostrava Otávio com dez anos ao lado de Altair e Lico, além de outros jagunços. Quando Marisa viu a foto quase caiu de costas e disse que eram os dois que apareciam para ela nos casos de obsessão por que passava.
               As coisas estavam esclarecidas com a confirmação de que Altair e Lico é que obsidiavam Marisa, pois eram inimigos ferrenhos de Antonio e a vingança começava com a perseguição aos seus familiares, além de sua prisão no forte do umbral.
               Outras fotos foram apresentadas por Otávio, e eram suficientes para mostrar a semelhança entre as pessoas daquela época e as de agora. O que dizer disso? Nada podiam provar porque as confirmações são somente do lado espiritual e quem pode falar algo sobre isso corre o risco de ser chamado de impostor. O melhor então é ficar quieto e esperar o tempo e as possibilidades que os mentores espirituais apresentassem para esclarecer o assunto.
               O almoço foi bom e a amizade entre as famílias cresceu desde esse dia, com a manutenção das conversas durante os dias que se encontravam no Centro e nas compras que Otávio realizava na loja. O tempo mostraria se a semelhança entre Maria e Marisa eram apenas coincidências ou a prova da reencarnação do Espírito de Maria para continuar seu progresso rumo a Deus.
                                            
Continuar...