Centro Espírita Dr. Adolfo Bezerra de Menezes

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

26 – Na cidade

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

<<< Anterior...

O sol ainda brilhava no céu quando adentramos a cidade. Passamos pelos largos portões e logo avistamos o acampamento erguido como hospital de campanha. 

As carruagens passaram por nós e seguiram ao povoado. Observamos tudo com muito interesse. Estávamos com a avó Maria, o general e a família, Pedro, a noiva, Gilberto e os amigos deles.

Podíamos ver os nossos cavaleiros atuando ao lado de médicos e enfermeiros no tratamento aos feridos. Todos se alternavam no trabalho de auxiliar aqueles que resolveram transformar seus destinos.

Em primeiro lugar foram atendidos os feridos. A imposição de mãos especializadas cicatrizava as feridas e como por encanto as dores sumiam.

Acompanhei um jovem que havia sido ferido por uma flecha. A seta havia acertado o ombro e o braço estava imobilizado. Os enfermeiros deitaram o moço numa mesa coberta por lençóis brancos e o médico começou a impor as mãos sobre o local. Pude ver a carne ao redor da flecha abrir-se ao influxo de uma luz roxa que saía das mãos do esculápio. Calmamente o médico puxou a flecha que saiu sem qualquer dano à carne. Em seguida passou os dedos sobre a ferida que se fechou totalmente.

Prontamente um atendente ministrou passe longitudinal por todo o corpo. Substâncias negras saíam pelos poros e desapareciam no ar. Era a limpeza que se processava do corpo perispiritual. Esse procedimento antecipava a renovação dos sentimentos que se daria depois, através de tratamento psicológico e da terapia do estudo e do trabalho.

Casos como esse, foram tratados a dezenas e todos se sentiam bem em auxiliar a recompor o corpo e o Espírito daqueles ex-combatentes.

Continuar...

 

Luiz Marini - Livros

kiko_e_malhado.jpg
Clique na imagem para acessar


Para refletir

"O desespero é uma doença. E um povo desesperado,lesado por dificuldades enormes, pode enlouquecer, como qualquer indivíduo. Ele pode perder o seu próprio discernimento. Isso é lamentável, mas pode-se dizer que tudo decorre da ausência de educação, principalmente de formação religiosa." (Francisco Cândido Xavier)