Centro Espírita Dr. Adolfo Bezerra de Menezes

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

TECENDO A VIDA

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Tecendo a vida – A aranha 10 

Soneto 01

 

Ao entardecer, ela tece a teia,

Suspensa entre a casa e a folhagem.

Ao balançar da branda aragem

Molda o núcleo e, depois, o rodeia.


Cose a emboscada e não se enleia!

Artesã, não se perde na contagem.

O produto é formosa imagem.

Imóvel, confia abocanhar a ceia.


Segue o seu instinto da natureza.

Constrói a sua casa com presteza

Na labuta que tece e se compraz.


Eu posso destruí-la, com certeza,

Mas, me rendo à perfeição e beleza

E deixo-a curtir a vida em paz.

--------------------------------------------------------

 

Tecendo a vida – A senhorinha

Soneto 02

 

As mãos ligeiras da senhorinha

Tecem em forma arredondada.

A colcha em círculos é rendada,

E, esse é o seu ofício na tardinha.

 

Tricotando vai levando a vidinha

No serviço em que é prendada

Usa óculos, pois, a vista é cansada.

Manuseia com maestria a linha.

 

Senhorinha e aranha tecem teia

Para conquistar a próxima ceia

Que não tem atraso para chegar.

 

A armadilha da aranha enleia.

Colcha unida em círculos é cheia.

Elas lutam para a vida assegurar.

--------------------------------------------------------

 

Tecendo a vida – O preguiçoso

Soneto 03

 

Não tece a existência o preguiçoso

Que não se aventura mais a trabalhar.

Vive sem ter um pouco em que pensar

E adora ter o tempo bem ocioso.

 

Não molda o futuro pretensioso,

Não tem o gosto do doce sonhar,

É inimigo da palavra conquistar,

Tem viver abjeto e vergonhoso.

 

Não tece a teia igual à aranha

Padece na vida, lamenta, apanha.

O viver ocioso é um tormento.

 

Cresce vício em cigarro e canha.

Perturba muitos parentes. Barganha

Dinheiro, moradia e suprimento.

--------------------------------------------------------

 

Tecendo a vida – Bom tecelão

Soneto 04

 

Quem na vida a teia sempre tece

Moldando o futuro do bem viver,

Planeja, trabalha e alcança o querer,

E consegue aquilo que merece.

 

A conquista dentro do peito cresce.

Estrutura é o alicerce do saber.

Estuda, pois sabe que o conhecer

Sempre a vitória estabelece.

 

Edifica na rocha o seu futuro.

Ergue casa, constrói forte muro

Para ter adequada segurança.

 

Procura brilho, espanta o escuro,

Esquiva-se do conviver impuro,

Vive em calmaria, em bonança.

--------------------------------------------------------

 

Tecendo a vida – Luz que ilumina o mundo

Soneto 05

 

Quem molda a vida com arte e nobreza

Forma caráter, personalidade,

Segue a trilha da solidariedade

Enche o coração de amor, de beleza.

 

Mostra à humanidade a certeza

De que é um bem para a sociedade.

Onde anda lança felicidade.

Ama o belo, a amizade e a pureza.

 

Tece o círculo, desenvolve a vida.

Sabe que, para o mundo, é a guarida

Do amor intenso, extenso e profundo.

 

Ainda que seja uma chama perdida

Na imensidão da terra esquecida

É luz que ajuda a iluminar o mundo.

--------------------------------------------------------

 

Tecendo a vida – O mestre

Soneto 06

 

O mestre tece a teia do ensino

Abrindo o horizonte do educando.

Devagar, com cuidado, vai mostrando

Como deve construir o seu destino.

 

Mostra que no planeta é inquilino

Que, pelos corredores, vai vagando

De experiências vai buscando

O que dele quer o Senhor Divino.

 

O mestre se empenha em ensinar

Tudo o que sabe, e tem que espalhar

Ao mundo a definição da verdade.

 

Todos devem aprender a aquilatar

Que estamos aqui para ajudar

A aperfeiçoar a humanidade.

 

Luiz Marini 31-05-2019

 

Luiz Marini - Livros

kiko_e_malhado.jpg
Clique na imagem para acessar


Para refletir

"A paisagem social da Terra se transformaria imediatamente para melhor se todos nós, quando da condição de espíritos encarnados, nos tratássemos, dentro de casa, pelo menos com a cortesia que dispensamos aos nossos amigos." (André Luiz)