Centro Espírita Dr. Adolfo Bezerra de Menezes

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

CAPÍTULO 24: Revelações

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

<<< Anterior... 

CAPÍTULO 24
 
 
 
                  Revelações                               

 
                                         Altair procura saber o segredo de Antonio
                                        conversando com um jagunço dedo duro.
                                         


               Altair chegou à fazenda de Otávio e chamou Darci e Dirceu para uma conversa em particular. Ele recordava que os irmãos eram muito jovens quando estiveram na fazenda de Antonio, mas, com certeza, lembrariam se este Antonio é o mesmo daquele tempo.
               Os irmãos disseram que eram parecidos, mas que não tinham certeza de que fosse o mesmo homem e que não poderiam matá-lo só pelo motivo de ser parecido com aquele que Altair desejava encontrar.
               O fazendeiro não se deu por satisfeito e dispensou os irmãos para que retornassem ao serviço. Quando estava se preparando para retornar ao caminhão um dos jagunços o chamou para uma conversa em particular. Curioso, Altair seguiu o jagunço para um local reservado e pediu ao homem que desembuchasse o que sabia.
               Esse jagunço era tinhoso por demais e vivia futricando a vida dos outros, além de já ter matado alguns inimigos e alguns colonos a mando de Altair. Desejoso de cair nas graças do patrão, contou que no dia que Otávio conversou com os irmãos sobre Antonio, ele se escondera ao lado da casa e ouvira a conversa.
               Em minutos o jagunço contou tudo o que acontecera: que Antonio era o mesmo homem que Altair procurava e que Otávio sabia que era seu filho.
               O fazendeiro tomou-se de raiva e mandou chamar os irmãos com o intuito de matá-los, por haverem contado o segredo a Otávio. Nesse instante chegou Otávio que estava na mangueira observando a lida dos peões com o gado. Altair modificou-se bruscamente, tornando-se educado com o suposto filho. Fez sinal ao jagunço para que os deixassem a sós e não chamasse os irmãos. Esse acerto ficaria para outra hora.
               Altair e Otávio seguiram até a mangueira para observar o serviço dos peões. Os irmãos estavam ajudando na lida, pois haviam se tornado ginetes e ótimos peões de campo. Os traços do jaguncismo ainda estavam encravados em si, mas haviam modificado em muito o comportamento bruto, tornando-se homens mais maleáveis.
               Eles sabiam que as coisas estavam feias para seu lado, pois haviam avistado o jagunço conversando com Altair e daquele bandido nada poderiam esperar de bom.
                  
 

Luiz Marini - Livros

kiko_e_malhado.jpg
Clique na imagem para acessar


Para refletir

"Não se zangue por não poder tornar os outros como você desejaria que fossem, pois você não se pode tornar (completamente) o que gostaria de ser." (Tomas Kempis)