Centro Espírita Dr. Adolfo Bezerra de Menezes

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte

Animais – O Feitiço Virou Contra o Feiticeiro

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

Em 18 de agosto de 2010, durante uma tourada em Tafalla, comunidade de Navarra, norte da Espanha, um touro pulou para a arquibancada e feriu cerca de 30 pessoas. Um menino de 10 anos continua em estado grave na CTI do hospital de Navarra, um jovem de 23 anos sofreu uma fratura na vértebra e seu estado é regular e um homem de 47 anos teve ferimentos na região lombar. Os outros tiveram ferimentos leves.

Assistindo ao vídeo postado na internet observamos o touro na arena, caminhando impaciente, nervoso, pois certamente previa o seu fim. De súbito correu e pulou numa mureta e dali para a arquibancada. Foi um corre-corre sem fim da platéia. E pudemos ver dezenas de crianças dentre os espectadores. O touro atacou as pessoas na arquibancada até cair no fosso ao lado da arena. Muita gente correu para laçar o touro. A noticia estampada na internet diz que depois de quinze minutos o touro foi sacrificado. O vilão do dia morria sob as garras do povo revoltado e ferido.

“O boi é bicho, mas tem alma sob o couro” diz a musica gaúcha. Com certeza o animal ao ser conduzido à arena sentiu-me acossado e, com medo, procurou fugir. Como da arena não tem escapatória, acabou subindo na arquibancada e ferindo as pessoas.

O touro é criado em fazendas especializadas em formar animais violentos e ferozes para as touradas. A defesa deles é atacar o oponente. Colocam a culpa do desastre no touro e não no costume bárbaro que cultivam. A pena para o animal é a morte.

Estranho como ensinam as crianças a ver a matança dos bichos nas arenas. Isso cria no infante que está na formação de seu corpo e no assentamento do Espírito ao corpo na nova encarnação um sentimento de banalidade quanto à morte. Primeiramente olham com indiferença a morte dos bichos, depois a morte das pessoas.  Para se tornarem pessoas alheias ao sofrimento dos outros é um passo.

Tiveram a má sorte de estarem no lugar errado, na hora errada. Se estivessem em casa estudando, assistindo um filme, lendo um livro, brincando com amigos, estariam protegidas.

O Espiritismo assevera que a criança é a esperança do mundo e que devemos educá-la desde a mais tenra idade para que se formem homens dignos e de bem. O Espiritismo ensina através da evangelização infantil e juvenil os melhores conhecimentos espirituais. Os animais são nossos irmãos menores; devemos cuida-los e não os maltratar.

Bezerra de Menezes diz que o Espírito reencarnante, até os 7 anos de idade, está ainda se adaptando ao novo corpo. É a época ideal para semear bons pensamentos e conselhos.

Nos países onde ainda se cultiva as touradas, em vez de ensinar a senda do bem, ensinam à arte de matar. Querem instilar nos Espíritos a adrenalina da batalha entre um touro e um toureiro e seus auxiliares. Touro sem armas contra espadas e cutelos.

Dizem que a carne do animal morto nas arenas é doada para os pobres. Coitados dos pobres... Os amigos poderão dizer: - “Coitados? Se ganham a carne para comer?”.

Respondo que seria melhor que comessem batatas do que a carne desses bichos mortos em agonia e sacrifício. Sabem por quê? A ciência provou que os animais quando pressentem que serão abatidos, formam enzimas nas células, devido ao medo da morte, que ficarão na carne e serão transferidas ao corpo que as ingeriu. Essas enzimas carregam os genes do câncer que haverá de, em pouco tempo, se desenvolver.

Vez por outra um toureiro é ferido gravemente e morre na ação. Vez por outra os espectadores é que sofrem ataques. É o dia do caçador e o dia da caça.

Depois de tanto alarde, finalmente a Catalunha, na Espanha, proíbe as touradas a partir de 2012.

Na região tem duas arenas de touradas, localizadas em Barcelona. Uma delas já está desativada e será um shopping e a outra só tem 15 apresentações durante o ano. Isso é muito pouco para uma região pertencente à Espanha onde é tradicional o espetáculo. Espetáculo de sangue, diga-se de passagem.

Já escrevemos sobre isso e está postado no site sob o titulo “Espetáculos de sangue”. Os animais merecem o nosso respeito e não é nada salutar que continuem sacrificando de modo desumano esses combatentes das arenas. Digo isso porque o toureiro está em ampla vantagem sobre o oponente. Alem da ajuda de diversos auxiliares, eles têm a seu favor a espada para desfecho do golpe fatal contra o opositor. Com certeza uma luta desigual entre um animal, chamado homem e um ser vivo chamado touro.

Mas, enfim, a vida é assim mesmo, enquanto não compreendermos a finalidade que Deus determinou para nossos destinos, que é a perfeição, estaremos vibrando com a morte de inocentes bichos, pelas arenas da vida.

 

Luiz Marini – 18 de agosto de 2010.

 

 

Luiz Marini - Livros

kiko_e_malhado.jpg
Clique na imagem para acessar


Para refletir

"Não existe criança - nem uma só - que não solicite amor e auxílio, educação e entendimento." (André Luiz)